OUTRAS SÍNDROMES

Você está em - Home - Outras Síndromes

Outras doenças detectadas ainda na gravidez

Como já exposto, diversos tipos de doenças podem ser detectados durante a gestação. A seguir, trouxemos algumas das mais comumente triadas durante o período pré-natal. Confira!

Anencefalia

A anencefalia é um tipo de malformação que afeta o cérebro, podendo acontecer entre a 16ª e a 26ª semanas de gestação. Essa malformação é caracterizada pela ausência total do cérebro no crânio, sendo identificada pela realização do exame de ultrassom.

Infelizmente, não existe tratamento para a anencefalia, e a condição inviabiliza a sobrevivência do feto. Entretanto, a sua identificação é fundamental para evitar complicações para a gestante, como o acúmulo de líquido no útero e as hemorragias.

Ainda não se sabe quais são as causas para essa malformação, mas fatores genéticos e a deficiência de ácido fólico podem predispor a sua ocorrência.

Hidrocefalia fetal

Essa condição se caracteriza pelo acúmulo de líquido (líquido cefalorraquidiano) dentro da caixa craniana, levando a um inchaço e a um aumento da pressão no cérebro do feto. A hidrocefalia é uma das anomalias mais comuns e que pode ser detectada pela ultrassonografia, a partir da 16ª semana de gestação.

Ela pode ser causada por diferentes fatores, tais como a presença de outras malformações, de anomalias cromossômicas e de infecções. O prognóstico varia de acordo com as características de gravidade e de condição clínica do feto, podendo ou não deixar sequelas.

Além disso, o tratamento pode ser iniciado ainda durante a gestação. Nesse caso, pode ser feita uma cirurgia intra-útero, por meio da realização de punções do líquido ou a instalação de cateter, a fim de aliviar a pressão no cérebro.

Em outras situações, quando a gestação já se encontra a partir da 32ª semana, é possível fazer o adiantamento do parto para a realização da cirurgia.

VEJA TAMBÉM:

Síndrome de Down

A Síndrome de Down é uma condição causada pela existência de um cromossomo extra no par 21; por isso, também é chamada de trissomia do 21. Ela atinge cerca de 1 em cada 700 crianças no mundo.

Essa síndrome acarreta uma limitação intelectual e de desenvolvimento na criança. Diferentes fatores podem predispor a ocorrência dessa condição, sendo a idade da mulher no período gestacional um importante fator de risco.

Existem diversos testes disponíveis para a identificação da síndrome. O mais simples e menos invasivo é o ultrassom, com a medicação Translucência Nucal (TN) — mensuração do acúmulo de líquidos na nuca do feto, a qual é realizada entre a 11ª e 13ª semanas de gestação.

Podem ser requeridos outros tipos de exames mais invasivos para a confirmação, como a biopsia de vilo corial e a amniocentese, já citadas.

Doenças infecciosas

Algumas doenças infecciosas adquiridas pela gestante podem ser transmitidas para o feto e causar sequelas graves, devendo portanto ser identificadas precocemente a fim de evitar prejuízos para o bebê. Dentre essas doenças, podemos citar a Zica, Rubéola, Citomegaloviruse, Parvovirose, Varicela, HIV, Sífilis, Herpes, Toxoplasmose, Hepatite, entre outras. Na maioria das vezes essas doenças são assintomáticas na mãe e o diagnóstico deve ser feito através de exames de sangue. Em geral quanto mais cedo a infecção for adquirida maior a chance de sequelas para o bebê.

Toxoplasmose congênita

A Toxoplasmose é causada pelo protozoário Toxoplasma gondii, o qual pode ser encontrado nas fezes de gatos e de outros animais felinos, sendo adquirida de várias formas como ingestão de carne mal passada, alimentos crus e água contaminada.

A transmissão para o bebê geralmente ocorre quando a mulher adquire a primeira infecção durante a gestação. O protozoário pode impactar o feto de diferentes formas, dependendo do período da gestação em que a doença ocorre.

Para a detecção da toxoplasmose, é feito o exame de triagem materna, a partir da verificação sorológica em amostras de sangue da gestante. O exame é realizado no primeiro trimestre e, posteriormente, repetido no segundo e no terceiro trimestres de gravidez.

Quando detectada, a toxoplasmose deve ser tratada com medicamentos, a fim de evitar complicações graves para o feto.

Hepatite B congênita

A hepatite B é uma doença infecciosa viral, causada pelo vírus da hepatite B (HBV). O momento da passagem da infecção da mãe para o filho ocorre principalmente durante o parto; por isso, é fundamental a realização dos exames de triagem.

Da mesma forma que a toxoplasmose, o diagnóstico é feito a partir de exames sorológicos, realizados em amostras de sangue da gestante.

Ficou claro que os exames pré-natais são fundamentais para a detecção de inúmeras doenças durante a gestação. A constatação dessas doenças pode evitar complicações para a mamãe e seus filhos ou habilitar o casal a lidar com algumas condições de saúde da criança após o nascimento.

VEJA OUTROS: